Pippi das Meias Altas (2.ª edição, com novas ilustrações)

LIVRO EM PRÉ-VENDA. ENVIOS DIA 1 DE MARÇO.

Tradução (a partir do sueco) e notas: Alexandre Pastor
Ilustrações: Ingrid Vang Nyman

Astrid Lindgren escreveu…
10%

15.30 

Categoria: Infanto-Juvenil
Tradução: Alexandre Pastor
EAN: 9789897833519
Data de publicação: 28/02/2024
Nº de páginas: 136
Formato: 15,3 x 23,3 x 1,4 cms
Acabamento: capa dura, com novas ilustrações
Peso: 500 gramas
Adicionar aos Favoritos
Adicionar aos Favoritos
Partilhe:
Descrição completa:

LIVRO EM PRÉ-VENDA. ENVIOS DIA 1 DE MARÇO.

Tradução (a partir do sueco) e notas: Alexandre Pastor
Ilustrações: Ingrid Vang Nyman

Astrid Lindgren escreveu Pippi das Meias Altas no inverno de 1941, quando a filha de sete anos adoeceu e lhe pediu que contasse uma história.
Pippi, imaginativa, rebelde e nada convencional, vive numa casa acompanhada de um cavalo e um macaco. Isso não admira, pois é órfã de mãe e o seu pai é um pirata e rei dos congoleses. Além disso, tem uma força invulgar.
E, claro, usa meias acima dos joelhos, o que explica o seu nome. Os seus companheiros de aventuras são Tommy e Annika.

SOBRE A AUTORA:
Astrid Lindgren nasceu em 14 de novembro de 1907, na pequena povoação de Nås, perto de Vimmerby, na província sueca de Småland. Ao longo dos seus 94 anos de vida, escreveu cerca de sessenta livros, tendo também sido editora de livros para crianças.
Os protagonistas dos seus livros são irreverentes, politicamente incorretos, fortes e dotados de iniciativa, embora exprimam também dúvidas e angústias.
As suas obras foram precursoras na defesa da ecologia, dos direitos das mulheres e na denúncia da violência em todas as suas formas.
Quando Pippi das Meias Altas foi publicado em 1945, conheceu um êxito imediato, apesar do alvoroço que criou entre os pais e os professores que viam em Pippi um perigo para a educação tradicional.
Um ano mais tarde, Astrid Lindgren iniciou o seu trabalho como editora de livros para crianças.
Astrid Lindgren obteve inúmeros prémios, entre os quais o prémio Hans Christian Andersen em 1958, o Nils Holgersson em 1950, o Prémio Nacional de Literatura Sueca em 1957, a Medalha de Ouro da Academia Sueca em 1971 e o Prémio da Paz, atribuído por livreiros alemães, em 1993.

Do mesmo autor:
Outras sugestões: